• Luana Alice De Souza

O que é corte a Plasma?

Com o advento de novas tecnologias e a crescente industrialização dos países, tornou-se necessário aumentar a velocidade de produção nas indústrias, porém sem reduzir a qualidade. O processo de corte a Plasma teve origem por volta da década de 50 e hoje é um dos métodos mais importantes e eficientes para o corte de materiais condutores de eletricidade, como os metais.


Mas vamos entender um pouco sobre o Plasma. A matéria pode se apresentar nos estados sólido, líquido e gasoso. Entretanto, há um estado chamado plasma, conhecido também como o quarto estado da matéria. A diferença entre esses estados é o quanto de energia existe em cada um deles.

Por exemplo, o primeiro estado da água é o gelo que é sólido. Se o gelo for aquecido, ou seja, se receber energia, ele se transforma em líquido e atinge o segundo nível. O líquido se for aquecido se transforma em vapor e atinge o terceiro nível. Se o vapor atingir altas temperaturas ele se transforma em um gás ionizado, que é o Plasma. A ionização do gás causa a criação de elétrons livres e íons entre os átomos de gás. Quando isso acontece o gás se torna eletricamente condutivo.



Transformação do estado da matéria

No corte a Plasma, um arco elétrico é usado para aquecer e ionizar o gás. O processo utiliza um bico com um orifício para constringir um gás ionizado em alta temperatura até que possa ser utilizado para cortar seções de metais, como o aço carbono, aço inoxidável, o alumínio e outros materiais eletricamente condutores. O arco Plasma derrete o metal e a alta velocidade do gás remove o material derretido.


Comparando com o Oxicorte, o corte a Plasma corta mais rapidamente as chapas finas sem risco de distorções, uma vez que a zona termicamente afetada (ZTA) pelo calor é menor, em torno de 2,00 a 5,00mm, enquanto que no Oxicorte é de 4,00 a 10,00mm. Também tem a vantagem de ter a partida rápida sem a necessidade de pré-aquecimento do material.


Porém esse processo requer grandes quantidades de eletricidade que resulta em elevados custos de operação. E além disso requer a substituição de consumíveis com frequência.

Esses consumíveis estão contidos na tocha do Plasma. A tocha tem a função de servir como sustentação para esses consumíveis. São eles:


Consumíveis da tocha do plasma

Esquema de uma tocha do plasma

Conforme aumenta a espessura do material a ser cortado, como consequência a densidade de corrente no bico também aumenta, tendo influência na eficiência do corte. A quantidade necessária de corrente que um arco precisa para cortar uma peça cresce proporcionalmente com o incremento da espessura do metal.



Fonte:


MARQUES, P. V. (2002). Tecnologia da Soldagem


WAINER, E., BRANDI, S. D., & MELLO, F. (2010). Soldagem Processos e Metalurgia. São Paulo: Blucher


Portal Metálica. O processo de corte de metais por plasma.2011

28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo