Melhoria Contínua: Entenda a importância da sua aplicação e como implementá-la

Muito se sabe que as industrias buscam sempre alavancar seus resultados. Arrisco dizer que, se ela não tiver como um dos objetivos melhorar continuamente, provavelmente ficará para trás e não se destacará no mercado atual que é extremante competitivo.


O que seria a melhoria contínua?


Melhoria contínua é a prática adotada por diversas empresas visando tornar seus resultados cada vez melhores, mais eficientes e eficazes, sejam eles em produtos, processos ou serviços. É um processo cíclico sem fim, afinal, sempre há novas oportunidades de melhoria para serem identificadas e colocadas em prática.

“Essa filosofia vem se tornando cada vez mais popular, sendo algo intrínseco a qualquer empresa hoje em dia. Isso se dá pelo fato de o capitalismo estar cada vez mais ”selvagem”, sendo necessário gerar muito valor para o cliente com o menor gasto possível.”

Pilares fundamentais da melhoria contínua

A melhoria contínua é tida como uma filosofia, possuindo conceitos básicos que devem ser entendidos antes mesmo de sua aplicação, como os seus pilares básicos, que são: Continuidade, Cultura e Benefícios em comum.

É necessário continuidade, ou seja, a constância é fundamental, pois este é um processo cíclico e não possui um fim determinado. Você analisa o processo, melhora o que tiver de ser melhorado, estuda outros pontos de melhoria e começa outro plano de ação, e assim sucessivamente. É uma cultura! Não se trata apenas de melhorar processos, e sim de mudar toda a questão cultural da empresa. É uma filosofia de negócios, ou seja, deve estar inserida em todos os níveis da empresa, desde a alta administração até os operários do chão de fábrica. E por fim, deve trazer benefício para todos, a mudança deve trazer benefícios gerais, envolvendo todas as áreas, não apenas uma específica. Todos os processos da empresa devem ser englobados, assim como a rotina de todos os colaboradores responsáveis.


Quais são as etapas do ciclo de melhoria contínua e como implementá-las


Uma metodologia muito utilizada nas empresas para a promoção da melhoria contínua em diferentes aspectos do negócio é o ciclo PDCA. Podemos dizer que o PDCA é o próprio conceito de melhoria contínua, pois suas 4 etapas, Plan, Do, Check e Act (Planejar, Executar, Checar e Agir) compõem o ciclo de melhoria, que deve rodar continuamente dentro de uma empresa.


"Com o tempo ele foi ganhando tanta notoriedade que passou a ser o fundamento operacional de todos os principais sistemas de gestão (ISO 9001, ISO 14001, etc.). É uma forma de organizar em passos simples e entendível o conceito de melhoria contínua usado tanto em contextos pequenos como contextos mais amplos".

Para sua aplicação, o conhecimento técnico é indispensável, já que o ciclo PDCA funciona como uma série de etapas, onde dentro de cada uma pode-se utilizar ferramentas diferentes, como 5W1H, Folha de dados, Ishikawa, Diagrama de Pareto, Fluxograma do processo, 5 por quês entre outras, fazendo com que as ferramentas da qualidade possam ser bem articuladas e aplicadas da forma correta, dentro da resolução de um problema.


  • Plan: Tem como objetivo estudar com maior profundidade o problema tentando identificar possíveis soluções para posteriormente elaborar um plano de ação com metas claras e definidas.

  • Do: Essa etapa consiste em colocar o plano de ação em execução. Mobiliar os recursos envolvidos (equipamentos, financeiro, pessoal, matérias primas) e além disso é necessário capacitar as pessoas com relação ao que vai ser feito, se for um novo método de trabalho ou se o plano de ação for muito detalhado.

  • Check: Durante a execução da melhoria, dados de desempenho do processo são coletados o tempo todo, onde é preciso se fazer uma verificação de como está sendo a evolução para entender se o plano de ação está tendo de fato efeito. A finalidade é acompanhar o atingimento das metas e evidenciar as melhorias.

  • Act: A última etapa quer dizer “agir com base nos resultados”. Se a ação foi bem sucedida, ela deve se tornar o novo padrão de trabalho da empresa. Se não obteve resultados, devemos compreender a razão disso e aprender com a experiência. De qualquer maneira, os resultados obtidos devem inspirar a próxima interação do ciclo PDCA no processo, podendo levar a ação diferente ou melhor na próxima vez que girar o PDCA nesse processo.

O Ciclo PDCA não é feito para ser utilizado apenas uma vez, o objetivo é rodar varias vezes no mesmo problema, e dessa forma ir melhorando o processo pouco a pouco, de maneira contínua.


A linha azul representa o desempenho do processo atual, ele permanece estável até certo ponto, e quando é implementada uma ação de melhoria através do PDCA a expetativa é que alavanque o processo. E ai entra em um novo patamar de desempenho, onde será melhor analisado possíveis causas que podem interferir no crescimento do processo, sendo necessário utilizar novamente o PDCA e todas suas ferramentas, e assim sucessivamente, com isso melhorando o desempenho e promovendo sempre uma ascensão.


É por isso que esta é dita ser a ferramenta que operacionaliza a melhoria continua, pois a cada rodada do PDCA o objetivo é chegar num novo patamar de desempenho, e assim está em constante evolução.









Fonte: Grupo Voitto,2021; Aprendendo Gestão,2019.


24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo