Entenda de uma vez por todas o que é Indústria 4.0

Quantas vezes você já ouviu falar o termo "4.0" sendo relacionado a qualquer coisa com a intenção de dar a noção de moderno, futurista? "Curso de Excel 4.0", "Gerenciamento 4.0", etc. O termo relacionado à quarta revolução industrial hoje é usado, muitas vezes sem relação real alguma com o que se descreve, apenas talvez por ser o "termo da moda". Mas você realmente sabe o que é a Indústria 4.0?


O termo "Indústria 4.0" foi citado a princípio na Alemanha em 2011, fazendo referência ao que seria a 4° revolução industrial. Revolução essa que basicamente seria marcada pela digitalização dos processos produtivos e máquinas trabalhando de modo autônomo através de um sistema central. Mas se falamos em 4 revoluções industriais é importante conhecermos as outras 3 revoluções e a história da Indústria.


A História das Revoluções Industriais


No século XVIII se dava a primeira revolução industrial, marcada pelo uso das máquinas à vapor.

À partir do século XIX chegavam as máquinas que tinham sua energia gerada através da eletricidade além da produção seriada, e assim se dava a segunda revolução industrial.

Eis que no século XX vem a terceira revolução industrial, onde se introduz na indústria os computadores e as telecomunicações. Máquinas são controladas por comando CLP.

De 2011 em diante o mundo vê nascer a 4° revolução industrial, onde tecnologias integradas permitem que máquinas e humanos trabalhem de modo colaborativo utilizando de sistemas ciber-físicos aliando as esferas virtuais às físicas, ou reais.


Conceitos usados na Indústria 4.0


A indústria 4.0 se faz à partir de alguns conceitos principais que, entre outro são:

⦁ Big Data;

⦁ IOT ou Internet das Coisas;

⦁ Computação em Nuvem;

⦁ Manufatura Aditiva;

⦁ Robótica Avançada.


Internet das Coisas ou IOT: É um sistema de dispositivos de computação inter-relacionados. Um exemplo de aplicação da internet das coisas na nossa vida cotidiana são os relógios que medem a frequência cardíaca, quantidade de passos diários etc, o que pode permitir levantar informações sobre a rotina de exercícios diários de uma pessoa. Na indústria, dispositivos através de sensores e outros componentes podem observar necessidade de futuras manutenções, falhas no processo e permitir a rastreabilidade dos produtos durante a fabricação.



Computação em Nuvem: A nuvem no caso é uma grande reservatório de dados onde os modelos mais conhecidos são a nuvem pública, nuvem privada, nuvem comunitária e nuvem híbrida, que são diferenciadas pelo modo de operação e o que cada uma pode oferecer de acordo com a necessidade. O sistema de armazenamento de dados por nuvem permite o uso sob demanda além da maior segurança dos dados armazenados.





Big Data: Esse conceito caracteriza-se pela organização dos dados, também armazenados em nuvem e obtidas principalmente através da tecnologia IOT. No caso, um enorme volume de informações é processado e avaliado, onde através dessas avaliações, o sistema central pode tomar decisões de forma autônoma. Por exemplo, através da tecnologia IOT sensores podem ser instalados em um carro, enviando informações para uma nuvem sobre o desempenho do mesmo. Essas informações processadas podem ser usadas para que o fabricante informe ao motorista sobre a necessidade de manutenção em um determinado item, inclusive sugerindo lugares próximos por onde o mesmo costuma estar, facilitando a vida do motorista inclusive no deslocamento até a unidade de manutenção autorizada mais próxima que já estará com as peças a serem trocadas e com os profissionais tendo todas as informações sobre que tipo de manutenção deverá ser executada.



Robótica Avançada: Robôs podem auxiliar tanto substituindo o homem em tarefas que possam oferecer perigo quanto na questão de rapidez e eficácia no processo. Os principais tipos são os autônomos, que podem trabalhar sem o controle contínuo dos movimentos pelo homem e os colaborativos, que são projetados para trabalhar em conjunto com o homem com segurança.


Manufatura Aditiva: A manufatura aditiva é um processo de fabricação que, diferente da usinagem, ao invés de retirar material até que se obtenha o produto final faz o contrário, evitando o desperdício do material inicial. Esse processo também é interessante por reduzir a necessidade de ferramentas e dispositivos, além de possibilitar a produção de peças mais complexas com muito maior facilidade.


Com todos esses conceitos sendo trabalhados e aplicados através da Indústria 4.0, uma empresa consegue acelerar a tomada de decisões e mudança de processos. É possível que a empresa veja o que acontece através das informações armazenadas em nuvem através da tecnologia IOT, entenda o que acontece através do Big Data e possa assim tomar decisões autônomas, tanto quanto à necessidade de mudança nos processos como na resolução de problemas, porém ainda se faz necessário que os colaboradores estejam preparados para essa nova tecnologia.



Fontes: https://portalead.sp.senai.br/

https://www.youtube.com/watch?v=2TXOZFmhGGo

https://www.youtube.com/watch?v=J9blTYWDJ0Q

https://www.youtube.com/watch?v=hEFFCKxYbKM





63 visualizações0 comentário